Este blog tem por finalidade, homenagear consagrados poetas e escritores e, os notáveis poetas da internet.
A todos nosso carinho e admiração.

Clube de Poetas









domingo, 21 de agosto de 2011

EDILSON MENEZES (EDMEN)




Edmen é pseudônimo oficial usado pelo vate e formado pela junção do nome com o sobrenome. Gosta de escrever textos ou mensagens, que de alguma forma sejam de ajuda ao próximo, fazendo-o refletir sobre a existência, atos e fatos que podem modificar ou melhorar o “eu interior”, aquele facho de luz no qual se encontra a percepção para o aprendizado. Em abril de 2010 lançou seu primeiro livro cujo título é: “Eu falo de flores”, uma coletânea de poesias, contos, crônicas e reflexões. Um outro está em andamento... Edmen fala de amor com um lirismo soberbo:
“O amor no meu entender é a mais pura e a mais forte das arquipotências, por isso não amo pelo prazer de amar, mas pelo amor que existe em meu coração.”
Verdade, sinceridade e franqueza, lema de um ser sensível que acredita na amizade como um todo, seu olhar não vê o gênero, mas sim a alma amiga que caminha junto e faz a diferença nos movimentos dos momentos.

“Que eu seja a amizade sincera. Hoje, amanhã e em uma nova era;
Que eu seja a esperança de quem cansado espera;
Que eu seja sempre elevado às galáxias da poesia e
que meu coração seja um altar de amor, livre da nostalgia.”

Assim é Edmen... Poeta, escritor, sonhador apaixonado e na estesia dos seus versos, a esperança livra-nos de amarras, doa-nos asas e voamos com a magia das palavras.

Anna Peralva


Eu Tentei...
Edilson Menezes
(Edmen)


Eu tentei segurar, eu não quis que este amor saísse
do coração feito um pássaro triste no céu a voar...
Eu tentei!... Oh Deus, como eu tentei!...
Eu te amei tanto, que amor como este parecia não haver igual...
Tu foste meu devaneio, meu receio de perdição, meu bem, meu mau...
Foste o amor que um dia esteve em meu coração...
Foste meu enleio, meu devaneio e minha emoção...
Eu tentei segurar, eu não quis te perder,
Por muito te amar,
mas eu não pude este amor segurar...
Hoje, o meu único alento é te tirar
do meu pensamento e enganar o coração,
Ainda que na incerteza de te esquecer...
Eu tentei não te perder...
Eu tentei segurar as lágrimas que escorrem...
A dor que o amor em minh´alma agoniza
Hoje eu sei que não vou mais te ter...
Eis que chegou a hora deste amor morrer...
Eu tentei em vão a morte deste amor adiar...
Eu tentei segurar...
Mas o momento e à hora é agora
deste amor eu matar.

Trabalho de Arte: Marilda Ternura

Um comentário:

  1. Lindo esse texto..
    Belissimo
    Saudações

    Débora Acácio - Debby :)

    ResponderExcluir